Campanha de Prevenção ao Coronavírus Governo de Rondônia
Campanha de Prevenção ao Coronavírus Governo de Rondônia

 Uma das maiores redes de supermercados do estado de Rondônia, com uma filial no Acre desde a década de 90, fechou as portas neste sábado no estado vizinho Acre, em Rondônia uma loja já foi fechada.

Os advogados do Supermercado Gonçalves entraram na justiça do estado Rondônia no ano de 2015, pedindo a recuperação judicial, medida para evitar falência que  permite a uma  empresa se reorganizar para recuperar a capacidade de pagar dívidas.

Campanha de Prevenção ao Coronavírus Governo de Rondônia

 Na linguagem mais popular é uma ação para tentar salvar a rede de supermercados, mas parece que os gestores não conseguiram e uma a uma as lojas estão sendo fechadas.

Oliveira Atacarejo

Instalado no Acre desde 1992, o Supermercado Gonçalves por muitos anos liderou o mercado varejista. Com frota própria para o transporte das mercadorias, caminhava a passos largos na frente da concorrência que penava para pagar os fretes. Hoje a realidade é inversa.

Desde  o ano 2015 até março de 2016, a rede Gonçalves demitiu no Acre 40 colaboradores. Com as vendas despencando na ordem de 25% negativo, os administradores ordenaram o corte de despesas com a folha salarial. Em 2016 uma reportagem do Ac24horas disse também que novas demissões devem ocorrer, caso a loja não consiga elevar os lucros e agora em 2019 a loja foi fechada em definitivo.

O que é recuperação judicial?

A recuperação judicial é uma medida para evitar a falência de uma empresa. É pedida quando a empresa perde a capacidade de pagar suas dívidas. É um meio para que a empresa em dificuldades reorganize seus negócios, redesenhe o passivo e se recupere de momentânea dificuldade financeira.

O que alega o Grupo na ação judicial de 2015

O Grupo Gonçalves possui dez supermercados, um atacadista, uma indústria, empório e escritório de representação em São Paulo. A empresa se apresenta como uma das maiores do setor na região norte e de acordo com o último levantamento da Associação Comercial de Rondônia, emprega mais mil e oitocentos colaboradores.

Na ação impetrada na 6ª Vara Cível de Porto Velho, os advogados do grupo elencam uma série de fatores para justificar o pedido. A crise financeira no país e a exorbitante dívida da rede junto aos bancos, encabeçam a lista.

“A atividade hipersensível ás flutuações de mercado, teve suas finanças diretamente afetadas em decorrência da queda de faturamento (provocada pela macro crise econômica), altas taxas de juros juntos aos bancos, elevação dos custos financeiros, redução de margem de lucro, aumento de custos, queda na renda per-capta nas cidades onde atua, aumento da concorrenciae “ressaca” pós usinas do madeira, em Porto Velho, que prejudicaram e debilitaram o grupo”, são alegações apresentadas pelos advogados na ação judicial.

No mesmo documento em que pediu o deferimento da recuperação judicial, o Grupo Gonçalves apresentou uma lista de ações medidas para tentar salvar a pele.

1-Nomeação de um administrador judicial

2- suspensão das execuções judiciais pelo prazo de 180 dias, inclusive de natureza trabalhista

3- dispensa da apresentação de certidões negativas para o exercício das atividades comerciais.

4- suspensa dos efeitos de protesto (SERASA, CADIN, SPC)

5- emissão de ofícios aos credores para que se abstenham de declarar vencidas dívidas da requerente, entre outras medidas.

Como surgiu a rede de Supermercados Gonçalves

Após trabalhar por anos na roça, José Gonçalves, juntamente com seu irmão João, decidiu mudar de vida e desbravar Rondônia. Em 1974, na cidade de Jarú, criaram a Casa GONÇALVES- secos e molhados, um mercadinho que vendia de tudo, até mesmo sela para cavalos.

Anos se passaram e seu José queria mais. Seu sonho era desenvolver a região, assim ele fundou o Supermercado Gonçalves em 1990, abrindo a primeira loja em Porto Velh, na Rua Guanabara.

O grupo tinha 10 lojas e duas industrias, e já  chegou a empregar mais de 1.800 colaboradores.

Completando 29 anos de fundação, a rede já foi um marco para o desenvolvimento da região.

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560