Garoto conta detalhadamente como matou Raíssa, menina autista de apenas 9 anos

5273
Super Ótica, Fone: (69) 3451-2164

A Polícia Civil da cidade de São Paulo ouviu a confissão do jovem garoto de apenas 12 anos, que afirmou ter matado Raíssa, que era portadora de autismo e tinha apenas 9 anos.

O garoto foi descrito como ‘frio’ pelos policiais e ficará na Fundação Casa, após ter sido considerado culpado pelo crime cometido no Parque Anhanguera. O adolescente está, agora, na Promotoria da Infância e deve ser ouvido ainda hoje pelo juiz da Infância. A mãe da garota revela que ela havia sumido em uma festa de domingo. Onde Raíssa estava com a mãe e sua irmã.

Oliveira Atacarejo

Após um longo depoimento, o garoto assumiu o crime e contou detalhadamente como matou a menina autista. Segundo o divulgado pela Polícia Civil, o jovem teria dito ‘usei um galho’.

“Ele começou a agredir a Raíssa antes de chegar à árvore. Primeiro bateu nela e depois usou um galho de árvore. Nos apreendemos esse galho“, disse o delegado que está como responsável pela investigação do caso.

No momento do crime, o garoto correu para a administração do CEU Anhanguera e contou que havia encontrado uma menina pendurada por uma corda em uma árvore. Logo, os inspetores foram procurar e encontraram a menina já sem vida. A jovem garota morreu de forma cruel e pouco tempo depois o garoto assumiu o crime.

Ao que tudo indica, Raíssa e o menino que a assassinou eram muito próximos, inclusive vizinhos. Recentemente, o garoto havia se aproximado da família da garota e começado uma amizade muito forte. Segundo o que relataram vizinhos, os dois estavam juntos o tempo todo.

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560