Polícia investiga estupro de menina de 9 anos dentro de banheiro de escola em RO

Apuração começou nesta segunda-feira (7) através da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA). Delegada disse que intimou pais de vítima e direção do colégio para depor.

167
Super Ótica, Fone: (69) 3451-2164

A Polícia Civil deu início, na manhã da ultima segunda-feira (7), às investigações do estupro de uma menina, de 9 anos, que ocorreu dentro do banheiro de uma escola localizada na BR-364, em Porto Velho. O crime foi registrado no último fim de semana pela Polícia Militar (PM). A Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA) assumiu a apuração.

À Rede Amazônica, a delegada que conduz as investigações, Márcia Gazoni, disse por telefone que não poderá fornecer informações por ter recebido o caso nesta segunda, mas informou ter intimado os pais da menina, além da direção da instituição de ensino e outras testemunhas, para depor.

Oliveira Atacarejo

A delegada também aguarda o resultado dos exames feitos na criança. A reportagem foi até a escola onde o crime aconteceu, mas a direção preferiu não se pronunciar, já que, até a manhã desta segunda, disse não ter sido procurada pelos pais e pela polícia.

No banheiro

De acordo com o depoimento da mãe da vítima no boletim de ocorrência, a menina foi estuprada dentro do banheiro do colégio. A criança foi atendida no Hospital Infantil Cosme e Damião, da capital.

A mãe da criança contou aos policiais que a menina estava na escola na manhã de sexta-feira (4), enquanto ela estava no trabalho e que, ao chegar em casa às 19h, notou que havia uma secreção na região íntima da menina. Ainda em depoimento à PM, a mãe disse que a filha havia sido vítima do mesmo crime aos 6 anos de idade.

Ao questionar a criança sobre o que teria acontecido dentro da escola, ela preferiu não contar nada de início. Porém, por insistência da mãe, a menina explicou que foi abordada por um homem na escola e, na sequência, levada por ele ao banheiro da instituição de ensino, onde ocorreu o ato.

Perguntada sobre quem era essa pessoa, a menina apenas detalhou as características do suspeito. A menina disse ainda que, após o estupro, o homem trocou de camisa.

A mulher contou também à polícia que a filha seguiu à sala de aula depois do ato, enquanto o homem continuou dentro do banheiro. A vítima não soube dizer para onde o suspeito foi, nem mesmo se era funcionário da instituição de ensino.

Após o relato da filha, a mulher a levou ao hospital, onde a médica de plantão averiguou a mesma secreção notada pela mãe na região íntima da vítima. O crime foi registrado na 2ª Delegacia de Polícia Civil de Porto Velho.

Taxa de estupro

Porto Velho teve a maior taxa de estupro entre as capitais brasileiras durante 2018, segundo revela o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Atualmente, a taxa é de 79,5 casos para cada 100 mil habitantes, o que faz a capital liderar o ranking de vítimas violentadas sexualmente.

Ainda segundo o 13° Anuário Brasileiro de Segurança Pública, os estupros cresceram 16% em Porto Velho no último ano. Ao longo de 2018, a cidade teve 413 ocorrências de estupros. Já em 2017 foram 355 casos.

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560