Polícia Judiciária Civil, procura por um homem que matou a tiros um caminhoneiro, de 37 anos, após um desentendimento banal relacionado ao carregamento de madeiras, no setor Industrial, em Juína (MT), no início da tarde desta segunda-feira, dia 28. A ocorrência inicialmente foi atendida pela Polícia Militar e teve continuidade pela polícia civil.

Rubens Lopes Ferreira, conhecido como “Rubinho Chapeiro” teve um desentendimento com o caminhoneiro Dayvid Paulino de Moraes que o contratou para carregar o caminhão depois que ele teria orientado o suspeito de como carregar a madeira no veículo que estava encostando na carroceria e poderia causar danos.

Segundo levantamentos da polícia civil, o suspeito estaria embriagado e não teria gostado de ser repreendido por Dayvid. Após ser chamado a atenção, o ‘chapeiro’ fez ameaças a vítima que não se importou muito e saiu do local retornando mais tarde em posse de uma arma de fogo. O acusado mesmo na presença de outras pessoas não titubeou, e efetuou disparos em direção ao caminhoneiro que estava na carroceria atingindo pelo menos dois tiros na região do abdômen.

Oliveira Atacarejo

Depois de cometer o crime, o suspeito fugiu numa motocicleta Yamaha Factor de cor vermelha e não foi mais visto na cidade.

Caído ao chão, Dayvid se comunicava com as testemunhas que estavam na hora do crime, mas se queixava de muita dor, e chegou a dizer que era melhor ter ficado no hotel se referindo a discussão que teve com o suspeito que tinha lhe ameaçado ainda pela manhã. Ele foi socorrido pelo Samu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no centro cirúrgico de um hospital particular da cidade.

O corpo seguiu ontem para o IML para exame de necropsia, no entanto, só foi liberado para os procedimentos fúnebres aos familiares na manhã desta terça-feira.

Abalados os parentes do rapaz não quiseram dar entrevistas, disseram apenas que Dayvid trabalhava há mais de 10 anos como caminhoneiro e que tinha dois filhos pequenos. Seu corpo foi transladado para Cuiabá, onde aconteceu o sepultamento.

O caso foi registrado na delegacia de polícia como homicídio qualificado por motivo fútil e segue em investigação. O paradeiro do homicida é incerto, autoridades de Vilhena já foram informadas sobre o caso, já que a cidade fica a 210 km de Juína.

Qualquer informação que possa chegar até o acusado deste homicídio comunique imediatamente a polícia no 190 ou 197, não é necessária identificação.

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560