Antes que os “isentões” fiquem muito animados, porém, é preciso lembrar que Huck é popular como apresentador, não como político. Suas investidas na política, de olho em 2022, são recentes, e não é isso que o torna tão popular nas redes, e sim o papel de bom moço desempenhado em seu programa de televisão.

Huck não ultrapassou Bolsonaro.

O apresentador Luciano Huck, segundo publicação da FSP teria ultrapassou o presidente Jair Bolsonaro em índice que mede a popularidade nas redes sociais. O resultado é de monitoramento da consultoria Quaest, que elabora desde janeiro do ano passado o IDP (Índice de Popularidade Digital).

Oliveira Atacarejo

O levantamento considera cinco dimensões: fama dos personagens públicos (número de seguidores), engajamento (comentários e curtidas por postagem), mobilização (compartilhamento das postagens), valência (reações positivas e negativas às postagens) e presença (número de redes sociais em que a pessoa está ativa).

Não é bem assim… .

Huck tem um público que cresceu vertiginosamente por que é impulsionado pela Rede Social da Rede Globo que é muito forte. A página do Caldeirão do Huck e as contas vinculadas ao apresentador Luciano Huck e não a pessoa “nua e crua” acabaram sendo contabilizadas pela Consultoria.

É claro e evidente que o presidente Bolsonaro tem mais seguidores e envolvimento. Ele é político. Seu público é realmente fiel a ele, ao contrário do Luciano que tem parte do público que o segue na Rede Social, ligado ao apresentador da TV Globo. O Antagonista publicou no final da tarde dessa sexta-feira (31) um dado curioso: Huck teria crescido muito em tão pouco tempo. Em 6 meses, as redes sociais do apresentador global teve crescimento de 100%. Nem Trump, o polêmico presidente norte-americano teve essa sorte. Huck investe pesado em perfis para crescer em números e ultrapassar Bolsonaro?

Claro que uma coisa pode levar à outra, e basta lembrar de Donald Trump. Não é segredo que o ministro Paulo Guedes, antes de “casar” com Bolsonaro, estava “namorando” com Huck, quem havia convencido a considerar a possibilidade de se candidatar. Guedes tinha identificado características no apresentador importantes para uma vitória, num momento de cansaço dos eleitores com os políticos profissionais.

Aquele selfie orgulhoso de Huck com Lula, portanto, vai assombra-lo por algum tempo ainda. Isso sem falar do rótulo de “candidato da Globo”, e também o viés “progressista” nos costumes, fora a questão da segurança.

Bolsonaro só perde para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump em número de seguidores ativos nas Redes Sociais.

O texto foi construído com apoio da publicação de A Gazeta do Povo e O Globo.
Fonte Diário da Amazônia
Via: Diário da Amazônia

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560