A dor do falecimento de uma senhora ficou ainda maior quando os familiares chegaram no cemitério e perceberam que a cova não estava pronta. Além de inacabada, havia sujeiras no entorno, relatou familiares. O fato aconteceu em Vale do Anari, município a 331,5 quilômetros de Porto Velho, localizado na rodovia RO-133 entre Jaru e Machadinho do Oeste.

O coveiro não apareceu no horário marcado e um dos parentes, que se identificou num vídeo como Rudnei Gonçalves Santos, teve que concluir o trabalho. O vídeo foi divulgado em redes sociais. Dentro da cova, ele reclamava da falta de ferramentas adequadas e do descaso de ter que fazer o serviço em momento de luto. Considerou desrespeito e se apresentou como morador há 15 anos do município.

Oliveira Atacarejo

A mulher que fazia a filmagem também reclamava do desrespeito aos familiares. O sepultamento seria da sua vó. Lamentou o fato da família ter que interromper a cerimônia fúnebre para concluir a cova. Pelo que diz no vídeo, o fato vem ocorrendo com frequência no cemitério da cidade.

Através da assessoria da Prefeitura, a informação é que a equipe da Secretaria Municipal de Obras, que também faz as covas do cemitério, estava em atividade no setor rural consertando pontes, e por causa de imprevistos não foi possível chegar a tempo.

A assessoria também informou que as covas são abertas por uma retroescavadeira, e manualmente é feito o acabamento momento antes dos sepultamentos. A prefeitura lamentou o ocorrido e considerou como fato isolado.

CONFIRA O VÍDEO:

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560