Campanha de Prevenção ao Coronavírus Governo de Rondônia

 

Uma mulher deu à luz a um bebê com duas cabeças em um hospital em Samarkand, no Uzebequistão. Os médicos verificaram que o caso é ainda mais especial porque não se trata de gêmeos siameses comuns, uma vez que apenas o corpo é partilhado e a criança tem dois cérebros funcionais.

Porém, não bastasse a raridade do fenômeno, a mãe terá de lidar com um trauma psicológico. Isso porque ela foi obrigada a levar a gravidez até ao fim pelo sogro que, depois do nascimento da criança, a forçou a entregar o bebê para adoção.

Oliveira Atacarejo

“Descobri que o bebê não estava bem na 21ª semana de gestação, mas o meu sogro é profundamente religioso e não permitiu que eu abortasse, mesmo contra todos os conselhos médicos. A minha vida também estava em risco”, relatou a mulher a um jornal local, sob condição de anonimato.

Ao mesmo veículo, o avô do bebê justificou sua ação. “O que é que podíamos fazer? Nem sequer sei se vão sobreviver. Eu errei, não devia ter obrigado que ela fosse até o fim com a gravidez. Eu achava que o bebé iria nascer saudável”, afirmou.

O médico Dr. Dilshod Rakhmonov, que está a cargo do caso, relatava que a criança, está na Unidade de Tratamento Intensivo, mas se recuperando. “Ele está bem. Crianças que nascem nestas condições podem, em alguns casos, viver entre 30 a 50 anos”, explica.

Ainda segundo o médico, o bebê ficará no hospital até que lhe seja encontrada uma nova família.

Segundo uma amiga da mãe, ela esta está “destroçada” e “só chora e reza” pelos filhos.

Fonte: O TEMPO

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560
ALE-RO