Campanha de Prevenção ao Coronavírus Governo de Rondônia
Campanha de Prevenção ao Coronavírus Governo de Rondônia

Um fato inusitado ocorreu na região da linha 06, km 20, dentro da reserva indígena, Rieli Franciscato, 55 anos, chefe da Funai na região foi morto após ser vítima de uma flechada certeira na região de seu coração. A tragédia foi registrado já no período de final da tarde desta quarta-feira, 09.

Rieli estava na companhia de Policiais Militares e de um outro indígena, Moisés Campé, de 35 anos, policiais estavam prestando apoio aos profissionais da Funai em diligências pela reserva nacional. Ele foi atingido pela flecha, gritou e correu por cerca de 60 metros, não resistiu e caiu. Foi levado por policiais de viatura ao hospital municipal de Seringueiras, mas o mesmo teria chegado morto. Ninguém foi preso.

Campanha de Prevenção ao Coronavírus Governo de Rondônia

Rieli teria pedido apoio dos policiais para investigar uma aparição de índios conhecidos pela Funai como “Isolados do Cautário” em uma residência na linha. A aparição foi registrada na manhã desta mesma quarta-feira e não houve confronto entre os índios e os moradores.

Oliveira Atacarejo

Um dos policiais que acompanhou Rieli na jornada, disse na condição de anonimato, que,  “Quando a gente chegou na beira da divisa [da Terra Uru-Eu-Wau-Wau], que a gente viu a placa da reserva da Funai, que era proibida entrada. O Rieli começou a subir um morrinho assim, o índio tava um pouquinho atrás dele. A gente que levou lá do Rio Branco, a soldada Luciana estava atrás dele e eu e um pouquinho atrás dela. Aí a gente só escutou o barulho da flecha, pegou no peito dele, aí ele deu um grito, arrancou a flecha e voltou pra trás correndo. Ele conseguiu correr de cinquenta a sessenta metros e já caiu praticamente morto, a gente ainda carregou um pedaço ele ainda. Conseguimos deslocar até na viatura que estava na estrada e até viemos trazer ele no hospital aqui, só que ele já chegou sem vida e nosso amigo se foi infelizmente.”

Coordenador da Frente de Proteção Etnoambiental Uru-Eu-Wau-Wau da Fundação Nacional do Índio, Rieli foi um dos fundadores nos anos 1980 da organização Etnoambiental Kanindé com a amiga e ambientalista Ivaneide Cardozo. Ele também trabalhou nas frentes de monitoramento na Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas, junto com o sertanista Sydney Possuelo.

Nota de pesar da Funai:

Em nota, a Funai manifestou “imenso pesar” pela morte do servidor, que era “o coordenador da Frente de Proteção Etnoambiental Uru Eu Wau Wau e somava mais de 30 anos de dedicação à proteção dos índios isolados no Brasil”.

A assessoria de comunicação disse que “a fundação lamenta profundamente a perda e manifesta solidariedade aos familiares e colegas do servidor. As equipes da Coordenação Geral de Índios Isolados e de Recente Contato (CGIIRC) e das Frentes de Proteção Etnoambiental se despedem de Rieli com carinho, respeito e admiração”.

Citado pela assessoria, o atual coordenador do setor, Ricardo Lopes Dias, disse que Rieli “dedicou a vida à causa indígena. Com mais de três décadas de serviços prestados na área, deixa um imenso legado para a política de proteção desses povos”.

Rieli Franciscato 1 1024x1024 - Flechada no coração disparada por índio mata chefe da Funai em Seringueiras
O sertanista estava monitorando um grupo de indígenas que se aproximou desde o mês de junho de uma comunidade rural em Seringueiras (RO)

(Foto de Mário Vilela/Funai/2014)
O sertanista estava monitorando um grupo de indígenas que se aproximou desde o mês de junho de uma comunidade rural em Seringueiras (RO) (Foto de Mário Vilela/Funai/2014)

Fonte: Planeta Folha

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560
ALE-RO