Governo de Rondônia
Governo de Rondônia

Um caso de morte de um bebê por afogamento após a realização de uma cerimônia de batismo gerou uma grande onda de comoção e protestos na Romênia. Durante o batismo em uma igreja ortodoxa em Suceava, região nordeste do país europeu, a criança foi imersa na água três vezes, e não resistiu. O caso aconteceu no último domingo (31).

 Segundo informações repassadas pela CNN, o bebê morreu após ter sofrido uma parada cardiorrespiratória. Paramédicos tentaram ainda fazer a reanimação da vítima na igreja, e na sequência o encaminharam para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Condado de Suceava, mas a criança acabou não resistindo e morrendo horas depois.

Uma investigação foi aberta pela polícia local para apurar o caso. O padre responsável pelo batismo pode ser autuado por crime culposo, quando não há a intenção de matar.

Oliveira Atacarejo

A autópsia realizada na vítima revelou que ele tinha água nos pulmões. Antes de vir à óbito, a criança foi internada em estado grave na UTI e foi intubada, com ventilação mecânica.

“O meu filho estava chorando, mas o padre o submergiu três vezes na água e ele inalou água. Eu o tirei, o limpei, e os médicos descobriram que ele inalou 110ml de água”, desabafou o pai da criança.

Pressão da população

Diante do caso de morte do bebê, a Igreja Ortodoxa Romena tem sido alvo de críticas e pressão da população para mudar o processo de batismo. Uma petição que pede alterações imediatas no ritual já foi aberta e conta com quase 60 mil assinaturas. A reivindicação sugere que o batismo passe a ser feito por borrifadas de água.

O ritual de batismo da igreja Ortodoxa consiste na imersão da pessoa a ser batizada de forma total na água, diferentemente, por exemplo, da cerimônia realizada na Igreja Católica.

Fonte: 1news
Imagem: Ilustrativa

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560