Governo de Rondônia
Governo de Rondônia

Receita Federal divulgou recentemente as novas regras para declaração do Imposto de Renda, e para aqueles que receberam o auxílio emergencial em 2021, a atenção deve ser dobrada.

De acordo com os novos requisitos, cerca de 3 milhões de pessoas que foram contempladas pelo benefício no ano passado terão que fazer a devolução.

Essa regra, no entanto, não se aplica a todos os beneficiários. De acordo com a Receita, terão que devolver aqueles em que as rendas tributárias somadas ultrapassaram o valor de R$ 22.847,76, entre elas salários, aposentadorias e pensões.

Oliveira Atacarejo - Sempre o Melhor Negócio

Durante o preenchimento da declaração, as pessoas que acumularam o benefício e que tiveram renda acima do valor citado, serão informadas que deverão devolver a quantia total recebida do auxílio emergencial.

O contribuinte poderá acessar o próprio sistema do IR 2021 para emitir o Documento de Arrecadação Federal (DARF) e ressarcir o dinheiro sem juros ou multas.

Haverá a possibilidade de o cidadão garantir o informe dos rendimentos com os valores do auxílio recebidos, através do site do Ministério da Cidadania.

O valor da renda emergencial deve ser informada na ficha de

“Rendimentos recebidos de pessoa jurídica”.

Vale lembrar que aqueles que se enquadram nas condições citadas são obrigados a entregar a declaração do IR 2021. Caso o cidadão tenha recebido o auxílio, mas não se vincula a nenhuma das exigências que leva a obrigatoriedade de declarar o Imposto, não precisa entregar.

Prorrogação

Os valores do auxílio emergencial em 2021 foram confirmados. O Governo Federal programa pagar três valores diferentes: R$175, R$250 e R$375.

A confirmação foi dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta segunda-feira (08) de março.

Segundo informações do ministro:

Mães solteiras com filhos recebem o maior valor: R$375.

Pais solteiros recebem o menor valor: R$175.

O Governo parte do pressuposto de que os pais não moram sozinhos com os filhos.

Já os casais irão receber o valor médio: R$250. Neste caso, somente um deles vai receber o valor em questão.

Isso significa dizer que uma mesma família com mais de um adulto não vai poder ganhar mais do que R$250.

“Nós só fornecemos os parâmetros. A decisão da amplitude é do Ministério da Cidadania”, disse o Ministro na conversa.

Ele optou, portanto por não fornecer nenhum tipo de detalhe sobre a nova prorrogação.

Agora com os valores repassados, uma das principais dúvidas é quando começarão os pagamentos. O Governo Federal estima liberar o benefício ainda em março.

A expectativa é que sejam liberadas 4 parcelas:

1ª parcela: março

2ª parcela: abril

3ª parcela: maio

4ª parcela: junho

O plano para o Governo depois disso é já apostar em uma nova versão do Bolsa Família, que contemple mais beneficiados.

Fonte: Verguia

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560