Governo de Rondônia
Governo de Rondônia

Giulia Mara Santos de Oliveira, de 24 anos, foi intubada com Covid-19 após fazer um parto de emergência em Santos, no litoral paulista. A menina nasceu prematura, e a mãe continua internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Completado quase um mês dos primeiro sintomas, o namorado decidiu postar um relato em formato de diário para pedir orações nas redes sociais, e emocionou internautas.

“A Covid-19 chegou na minha família, e chegou da pior forma”, publicou o instrutor de autoescola Alessandro da Conceição Ferreira, de 27 anos.

Em entrevista nesta quarta-feira (24), Ferreira contou que Giulia, que estava grávida de oito meses, começou a sentir os sintomas da doença no dia 25 de fevereiro. Ela atuava em uma farmácia, e começou a suspeitar de Covid-19. O casal, que mora em Bertioga, começou a buscar um diagnóstico, e ela passou a sentir dores fortes no corpo, na garganta, falta de ar e tosse. Após a suspeita de doenças gestacionais, ela fez um teste e recebeu o resultado positivo para o coronavírus sete dias depois.

Giulia teve os primeiros sintomas em fevereiro e foi intubada em março — Foto: Arquivo Pessoal

Giulia teve os primeiros sintomas em fevereiro e foi intubada em março — Foto: Arquivo Pessoal

Oliveira Atacarejo

De acordo com Ferreira, ela foi medicada com remédios mais leves, por conta da gestação, e demorou a aceitar fazer tomografia, por medo de prejudicar o bebê. Só concordou após os médicos garantirem que fariam de forma segura. “A preocupação maior era a nossa filha, ela fazia de tudo para proteger ela”, relembra o namorado.

No dia 7 de março, ela foi ao hospital Casa de Saúde de Santos, onde ficou internada. Com 50% dos pulmões comprometidos, Giulia passou a apresentar piora no quadro, e os médicos avaliaram que seria necessária a intubação. Por conta da criança, foi realizado um parto de emergência, mesmo que ela tivesse apenas 8 meses.

O instrutor conta que a menina não chorou quando nasceu, e pode ficar com o casal por pouco tempo, sendo levada para a UTI neonatal, por ser prematura, onde ficou alguns dias. “Depois, quando ela chorou, começamos a chorar juntos, e a médica mostrou para nós antes de levar”, conta. No dia seguinte ao parto, a jovem foi intubada com o agravamento do quadro de Covid-19.

Relato foi postado nas redes sociais do namorado, que tem cuidado da filha dos dois — Foto: Reprodução/Facebook

Relato foi postado nas redes sociais do namorado, que tem cuidado da filha dos dois — Foto: Reprodução/Facebook

Antes da intubação, foi permitido que ela conversasse com o namorado por chamada de vídeo. “Eu disse que ia cuidar super bem da nossa filha, e ela ficou super feliz, pediu que eu avisasse os pais dela de que ia ficar tudo bem, e no fim da ligação, eu disse ‘se você precisar de algo, me grita, linda’. Esse foi o último sorriso que eu vi dela, antes de ser intubada”, escreveu em seu diário da internação publicado nas redes sociais.

Desde 10 de março, Ferreira aguarda as ligações diárias com notícias de Giulia, que repassa para toda a família. Desde então, ela já precisou de transfusão de sangue, teve uma trombose e contraiu uma bactéria. Diante do estado delicado, o namorado decidiu pedir orações, e utilizou as redes sociais para alcançar mais pessoas. Em uma espécie de diário, ele escreveu como foram os dias desde os primeiros sintomas.

Jovem pode ligar para o namorado antes de ser intubada em um hospital de Santos, SP — Foto: Arquivo Pessoal

Jovem pode ligar para o namorado antes de ser intubada em um hospital de Santos, SP — Foto: Arquivo Pessoal

“Estão sendo os dias mais difíceis para mim. Fiz o que podia, pedi orações, quero que ela veja tudo que escrevi. Estou esperando ela para ficar comigo e com nossa filha. Tudo que eu estou fazendo, estou fazendo por ela”, disse. A publicação dele alcançou centenas de pessoas. Além de pedir orações, ele solicitou doação de sangue para o hospital, como forma de ajudar outras famílias. Ele também agradece ao trabalho dos profissionais.

Ferreira explica que ele também foi contaminado, assim como as mães de ambos e outros familiares, mesmo com os cuidados. Enquanto a esposa segue na UTI, ele está com a filha, que já recebeu alta para o quarto, na enfermaria do mesmo hospital.

“Estamos tão perto, e ao mesmo tempo tão longe. A distância de um lugar para o outro é de um andar. Eu fico aqui, e vou continuar aqui, esperando ela voltar bem”, finaliza.

Casal mora em Bertioga, no litoral paulista — Foto: Arquivo Pessoal

Casal mora em Bertioga, no litoral paulista — Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: G1

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560