Governo de Rondônia
Governo de Rondônia

Um homem ainda não identificado, que vive nas ruas, foi assassinado com dois golpes de paulada na cabeça na madrugada desta terça-feira (13/07) na calçada de uma empresa localizada na marginal da BR-364 no perímetro urbano da Estância Turística Ouro Preto do Oeste.

Em uma ação rápida, a Polícia Civil localizou e prendeu Edmilson Barbosa de Oliveira, que chegou à cidade há quatro meses, vindo de Mineiros (GO), mas ele é natural de Ouro Preto do Oeste. Edmilson desferiu duas pauladas na vítima, o motivo teria sido em razão de uma discussão por causa de fumo e cachaça.

Edmilson foi preso por dois investigadores da Polícia Civil é um policial MIlitar do NI da Polícia Militar.

Oliveira Atacarejo - Sempre o Melhor Negócio

A Polícia Militar foi acionada pouco depois das 6 horas para comparecer ao pátio da loja de materiais de construção, o delegado Niki Alves Locatelli e o chefe do Sevic também estiveram no local em busca de imagens de câmeras de monitoramento que podem ter registrado o autor do crime.

Equipe da Polícia Técnico-científica (Politec) da Polícia Civil compareceu no local, e após a aplicação das técnicas periciais o corpo foi liberado para a funerária Paxpassbom Passport. Uma bolsa da vítima, um par de tênis e um corote de pinga vazio foram recolhidos no tronco de uma árvore à margem da BR-364. A vítima não tem documentos.

Índio foi morto com um forte golpe de paulada desferido contra sua cabeça enquanto ele dormia.

De acordo com os peritos Anna Garção e Carlos Alberto Astenreter, a vítima apresenta um ferimento lacero-contuso, com um corte em forma aberta de um triângulo na região posterior e lateral do lado esquerdo da cabeça.

Ainda conforme explicações dos peritos, apesar de ter sido uma paulada muito forte, aparentemente só cortou o couro cabeludo e o tecido da cabeça da vítima, que tem uma lesão no olho que é próprio do traumatismo craniano.

Como o corpo ainda não apresentava rigidez cadavérica, e ainda se encontrava na fase de resfriamento corporal, os peritos calcularam que Índio foi assassinado provavelmente entre três a seis horas desta madrugada.

Entre os moradores de rua o homem assassinado era chamado por Índio, e sua nacionalidade ainda é incerta, tendo em vista que ele era chamado de boliviano, peruano e as vezes venezuelano. Ele tem uma passagem pela polícia em decorrência de uma detenção há oito meses na cidade de Vale do Paraíso, feita pela Polícia Militar, por suspeita de crime de furto.

A Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS) informou que ao longo de quase 2 anos que o indivíduo frequenta a cidade houve várias tentativas de cadastrá-lo, e de enviá-lo para sua cidade de origem, mas o morador de rua era bastante agressivo, e na única oportunidade de cadastrá-lo, mesmo bastante embriagado ele fugiu da delegacia.

Índio chegou a ser levado para Jaru no ano passado, mas retornou. “Ninguém conseguia encostar perto dele, ele não deixava. Ele era bem astuto e esperto”, disse uma agente da SEMAS.

Fonte: Jornal Correio do Vale

Comentários

Central Cell Celulares - 3451-4560